festivales 2010
appa writes on 19.Jul.10 at 01h18
Seminole Medicine Man daughter

Tenho ido pouco a concertos e ainda menos a festivais. Razões para isso são múltiplas.

  1. O empobrecimento acentuado do panorama de concertos em Portugal. Tirando os nada imaginativos programas de Música Antiga da Gulbenkian o panorama é árido.

  2. Tenho outros interesses fora da Música. Um deles é o cinema. Esse também recentemente ferido de morte com o falecimento de João Bénard da Costa. Estando agora entregue a sólidos burocratas e party hacks.

  3. Nada melhor que fazer um jejum de música. Para poder voltar a ela mais tarde com um nova forma de olhar e mexer. Os festivais reflectiram no particular o geral do empobrecimento do panorama da música que uns chamam clássica e outros chamam erudita.
perusio strikes back
appa writes on 04.Jul.10 at 23h43
Darth Vader smiles


The reactionary does not yearn for the futile restoration of the
past, but for the improbable rupture of the future with this
sordid present.


Don Colacho, Escolios a un Texto Implícito: Selección, p. 224




Faz tempo que não escrevia aqui. Não me apeteceu escrever até há
pouco. Apetece-me agora voltar a escrever. Vão mais de 4 anos
desde o último post e 7 desde o lançamento do site. Para um site
com 7 anos até que nem está mau de todo. Obviamente que agora com
todas as possibilidades oferecidas pelo HTML5 o site pode ser
uma coisa muito melhor.

O perusio.com vai voltar, mais melhor bom. Isto apesar de o
panorama de concertos pela lusa pátria ser francamente mau, com
umas bóias a flutuar isoladas num oceano de tédio.
europeu: nostálgico da cultura europeia
appa writes on 04.Jul.10 at 22h24
Mafra 19 Dez 2009. Auditório concerto

Frio de rachar em Mafra, 19 de Dezembro de 2009, 21h00. O que me
fez lá ir foi a anunciada ocasião de ouvir pela primeira vez, após
mais de um século, os seis órgãos da Basílica. Não havia lugares
sentados, ou melhor havia muito atrás, próximo das portas que
permaneceram escancaradas durante todo o concerto. Não, não havia
alternativa: era ir para diante, encostado à parede de pé. Era a
única solução viável. Mais tarde a bonomia dos organizadores deixou
que a turba ocupasse o corredor central. Não havia programa para
rock in chelas: me tarzan, you jane, cheetah composer
appa writes on 10.Jun.06 at 16h41
Tarzan film cast family picture

Foi nos dois fins de semana passados, o dia 27 de Maio, e a sexta 2 de Junho que tive a excelsa experiência de ter estado nesse evento aglutina mundos que dá pelo nome de Rock in Chelas, aka, Rock in Rio Lisboa, como o rio de que fala o título está mais ao sul, ainda mais que o Tejo em relação ao "belo" parque da Bela Vista para blocos de habitação social e uma cerca metálica, Rock in Chelas é mesmo o mais lógico.

Ao que interessa. Vou falar para já sobre aquilo que hoje se chama música de dança. Foi no Sábado 27 que tive o privilégio de testemunhar da arte do mestre Carl Cox que se deu ao incómodo de atravessar boa parte do Atlântico, de Inglaterra, para vir a Lixboa presentear-nos com uma exibição dos seus artifícios musicais. Agradeço ao sr. Cox o incómodo a que se deu, sei que lhe devem ter pago muito bem, muito bem mesmo, dito isto, bastava ter enviado uma mensagem MMS através do seu telemóvel, que tinha tido o mesmo resultado. Um pequeno ficheiro MIDI que podia ser descarregado para um sintetizador teria tido o mesmo efeito.
a festa da música 2006 à velocidade de um tgv entre lisboa e o porto
appa writes on 01.May.06 at 01h57
bmw Isetta

Telegraficamente e mais rápido que um TGV sem paragens entre Lisboa e o Porto. A festa da música deste ano foi dedicado aos Barrocos europeus. Francês, Inglês, Italiano, Alemão e Português. Emprestou o título de uma obra de Couperin, Le Concert des Nations: O Concerto das Nações.

Assisti aos concertos do RIAS Kammerchor com a Akademie für Alte Musik dirigidos por Daniel Reuss, no Salomon HWV 67 (1749) de G. F. Handel. Não me agradou por aí além. Valeu a prestação de Susan Gritton o resto é mais ou menos esquecível. Continuo a não gostar da direcção de Daniel Reuss. Não tinha gostado nada da Missa Solemnis de Beethoven o ano passado, e não gostei do Solomon este ano. Recordo com saudade a magnífica Criação de Haydn dirigida por Marcus Creed com o mesmo dispositivo coral e instrumental.
fm 2006: muita xaúdinha, boa xorte e obrigadinho por me auchiliar
appa writes on 01.May.06 at 00h17
beggar playing violin in fair

Intersecção de uma chamada efectuada entre um músico português, cuja identidade ficará por razões óbvias ocultada, e que esteve presente como intérprete na Festa da Música, e um número não identificado do CCB. Cortesia da NSA e do seu magnífico echelon.
que pasa, hombre? no pasa nada
appa writes on 28.Apr.06 at 20h53
Mulher enche balõs com aspirador

Ena, ena, hay mucho tiempo que nada aqui escrevo. Tenho saudades destas minhas escritas. Quando se chega a um cruzamento há pelo menos dois caminhos a tomar. Não se sabe à priori qual o melhor. Vem-se a saber só depois. Mas qualquer que seja o caminho, uma coisa é certa, sai-se mais rico dessa caminhada. Abreviando, q.b., fiz um caminho que não era bem o meu caminho, mas foi não obstante uma experiência muito enriquecidora. Donde eis-me de volta ao princípio, agora vou seguir outra estrada. Qualquer uma serve, desde que seja pouco viajada. Adiante.
antonio zaccara da teramo (activo 1390-1413)
appa writes on 01.Apr.06 at 21h40
Zaccara da Teramo

Membro da capela Pontifical entre 1391 e 1407, e da capela de
Bolonha em 1413.

Rapidamente desaparece de referências documentais, provavelmente devido à sua morte. Investigações recentes revelam-nos que um vasto número de obras que se julgavam serem o labor de vários compositores com o nome Zaccara, são de facto da autoria de Zaccara da Teramo.

Ele parece ter sido um pioneiro na composição de Missas. Pelo menos quatro dos seus movimentos da Missa são baseados em melodias seculares da sua autoria.
vocal ensemble em s. vicente de fora: polifonia de uma nota só
appa writes on 14.Jan.06 at 19h54
Bebel Gilberto

Assisti o passado Sábado dia 7 de Janeiro a um concerto medíocre pelo Vocal Ensemble que se apresentou na igreja de São Vicente de Fora, sob a direcção de Vasco Negreiros, com motetes e a Missa Pro Defunctis de Frei Manuel Cardoso (1566-1650). Ocasião também para o lançamento de um CD triplo com obra inéditas em CD do mesmo autor pela editora Arte Mágica.

As peças vocais foram entremeadas com obras para órgão interpretadas pelo organista João Vaz no magnífico instrumento de São Vicente de Fora.
o ouvido de maxwell: pare, escute, sinta
appa writes on 04.Jan.06 at 00h37
James Clerk Maxwell

Actualização: site do programa.

Tenho votado este site a um "desprezo" forçado. Tenho muitos outros interesses. E tempus fugit. Tenho andado envolvido com um meu pet project: um programa de rádio.

Não espanto ninguém que leia os meus escritos que sou crítico da rádio portuguesa em geral e da clássica, Antena 2 em particular. A Clássica FM é um robot, nem se quer lhe posso chamar uma rádio. Adiante.
1 2 3 4 5 6 7 8 9 ...
next page
last page