(f)estivais 3: capuchos em reanimação
appa writes on 05.Jul.05 at 19h51
convento dos capuchos almada

Um Festival que já não é, ou melhor que não era até recentemente, mas que parece querer rescussitar é o dos Capuchos. Um Festival que o falecido Adelino Tacanho organizou entre 1981 e 2001.

Este é um ano de balanceamento para outros vôos. Para o festival resgatar do olvídio o seu património e voltar a fazer soar nos belos espaços dos Capuchos, e da Arrábida a boa música.

Tanto quanto julgo saber este ano a coisa surgiu algo impromptu. Faltou o tempo necessário para construir uma programação mais ambiciosa. Faltou também o $. Adereço indispensável para uma programação mais à Capuchos.

Daí que se optou denominar este ano Ciclo de Concertos nos Capuchos em lugar de Festival dos Capuchos.

O director artístico deste ciclo de concertos é Vitor Roque Amaro, director do grupo vocal Concertus Antiquus.

O tema do ciclo de concertos é o Jardim das Hespérides. Hespéria é também o nome dado pelos gregos às Penínsulas Ibérica e Itálica. Significa a terra do ocaso.

O Convento dos Capuchos sobre o Atlântico, convoca esta antiga designação.

A programação inclui conferências e concertos. Extende-se entre Julho e Outubro.

Iniciou-se no passado fim-de-semana. Com um recital no Sábado dia 1 de Julho do pianista Jorge Moyano com o tema Os Jardins de Mozart ou as Metamorfoses da Árvore da Vida.

No Domingo 2 de Julho o grupo vocal Olisipo como flautista António Carrilho apresentaram um concerto com a temática Lugares Amenos: O Vale e o Jardim, com textos do Cântico dos Cânticos, e música desde Palestrina a Ivan Moody.

Continua neste Sábado com um debate e recital de música e poesia também com o Cântico dos Cânticos em fundo. O título do recital é: Hortus deliciarum — o Jardim das Delícias conta com a presença dos actores Luís Madureira e Carmen Dolores, bem como do músicologo e gambista Roberto Gini. Dia 9 de Julho às 21h30 no Covento dos Capuchos.

Dia 15 de Julho, sexta-feira, o agrupamento Udite Amanti apresenta-se em concerto com o tema Lugares Isolados: Floresta(s) de EmoçõesSéc. XVIII: O Barroco e a sua Emoção. Também às 21h30 nos Capuchos.

Dia 23 de Julho o Coro Gulbenkian sob a direcção de Jorge Matta apresenta um concerto com o tema "In Vesperis" ou os sons do "Canto d’Orgam" da Tradição Polifónica Portuguesa em redor da Igreja Conventual. Com polifonia portuguesa da Renascença e Barroco.

Em Outubro a música continua com Mário Laginha que responde na sua condição de compositor e intérprete à interrogação: Bach ainda mora aqui?. Dia 8 de Outubro às 21h30 nos Capuchos.

Dia 15 de Outubro pelas 15h00 uma conferência com uma instalação sobre o tema: O Som e os seus Espaços.

Dia 22 de Outubro o agrupamento L'Antica Musica apresenta uma Léçon des Ténèbres à flamejante luz das velas. E assim se encerra o ciclo de concertos Capuchos 2005. Faço votos que para o ano a coisa adquira outra embalagem e se possa voltar a chamar Festival dos Capuchos.

De qualquer forma, é recomendável uma viagem aquelas bandas, visto que o espaço é belíssimo, e os concertos mais conferências serem atractivos por demais.

Informação mais detalhada irá surgindo na página de eventos à medida que as datas se forem aproximando.