os ouvidos não têm pálpebras: têvê a metro
appa writes on 20.Mar.05 at 16h15
Cada vez mais o silêncio é uma vertigem. Algo que faz parte do passado em vias de fossilização.

Leio num jornal que há já quem pense em fornecer aos nossos ouvidos música a metro e publicidade sem parar. Numa implementação global do mecanismo Pavloviano de consumo, ou do desejo do mesmo.

Quem teve já a triste experiência de entrar numa estação do metro depois de ter pago um bilhete e com o intuito de ser transportado e antes de mais nada ter que gramar um vomitado fedorento projectado sobre vários ecrâns distribuidos ao longo do cais de embarque. E se pretender escapar à agressão visual, não pode alhear-se da agressão sonora. Aos berros debitando info-anúncios. Não há um recanto da estação onde não se ouça esta lerdofonia.
bach & vivaldi na estrela: santa cecília, onde páras?
appa writes on 20.Mar.05 at 14h28
Assisti a um concerto medíocre a passada sexta-feira na Basílica da Estrela. Concerto integrado nas comemorações dos 40 anos da Academia de Música de Santa Cecília.
o bom exemplo vem de espanha
appa writes on 17.Mar.05 at 22h51
Depois da minha recente excursão a terras de Leão e Castela para ouvir MC Kiehr e o Concerto Soave na viagem de regresso tive tempo para a talhe de foice reflectir sobre a diferença de atitude perante as coisas da Arte em Portugal e Espanha.

Lá há uma actividade efervescente de concertos, mesmo em locais remotos como Zamora, que não obstante ser uma bela cidade, com monumentos medievais bem conservados, está longe dos circuitos mais badalados, como Santiago de Compostela, Toledo, Madrid ou Barcelona. Lá como cá houve uma aposta no turismo do sol e praia que atraiem os turistas ingleses tatuados e deglutidores de cerveja que regressam a casa assim que a pele atinge o tom lagosta. Contudo, isso está a mudar por lá. Salamanca e Zamora são exemplos de cidades onde se está a fazer uma aposta num turismo mais esclarecido. Para isso, além da conservação do património e de uma estratégia urbanística ao abrigo dos patos bravos e afins, há uma aposta fortíssima em eventos aglutinadores de um público mais esclarecido. Quem diria que uma cidadezinha tão pequena quanto Zamora tem um festival de arromba, só com o melhor que há no domínio da Música Antiga.
maria cristina kiehr & concerto soave in zamora: questa mefistofelica cantatrice
appa writes on 15.Mar.05 at 21h52
I attended a superb concert last Sunday in the spanish town of Zamora integrated in the 3rd International Festival Portico de Zamora. Maria Cristina Kiehr and the Concerto Soave offered those present a remarkable performance.

The program interpreted was organized around the holy scriptures from both the Old and New Testament. It's title was Héroes de la Cristandad: Antiguo y Nuevo Testamento.
a ouvir: les enfants du baroque
appa writes on 10.Mar.05 at 20h05
Enquanto a A2 não muda, insistindo no mesmo modelo gasto e regasto, com honrosas excepções, as quais não é possível ouvir na Internet, a menos que se esteja online à hora da emissão. Arquivo de programas é coisa que não existe. Sugiro um excelente programa do France Musiques designado Les Enfants du Baroque. Durante uma hora Gaëtan Naulleau entrevista um convidado, em geral um músico, que fala sobre o seu trabalho e sobre música. Conversa estimulante e música, muita música. Jamais descamba para a conversa de chacha que se ouve em algumas rádios por aí, em que a música é tratada como resíduo do parlapié abundante.
ensemble bach da metropolitana em queluz: il cor de la musica
appa writes on 03.Mar.05 at 14h45
Assisti a um bom concerto o passado Sábado, no Palácio de Queluz. O Ensemble Bach da Orquestra Metropolitana de Lisboa interpretou:
boas novas do clementi de queluz
appa writes on 27.Feb.05 at 19h35
Estive ontem em Queluz para assistir a um concerto pelo Ensemble Bach da Orquestra Metropolitana de Lisboa.

Foi um bom concerto. Sobre isso escrevo depois. Agora quero falar sobre o piano-forte Clementi.

No fim do concerto por cortesia Caixa Geral de Depósitos, foi servido um pequeno bufete na Sala da Música. Fiquei supreendido ao ver o Clementi exposto, embora com um mínimo de informação: pouco valorizado.

No dia 20 de Maio de 2004 escrevi aqui um artigo a expor a situação do piano não estar exposto. Desconheço se o meu artigo teve algo a ver com o alterar da situação.
dionisio re di portogallo at lisbon: rediscovery or stunt?
appa writes on 25.Feb.05 at 15h52
I attended a good performance of Handel's opera Sosarme HWV 30, alias Fernandi Re di Castiglia and, strangely enough titled Dionisio Re di Portogallo, according to a filiation to António Salvi's libretto for Antonio Perti's (1661-1756) opera, that was staged in the theather of the Villa dei Medici near Florence, September 30, 1707. Handel is supposed to have attended the performance, thus influencing his choice of the subject. The performance took place at the São Carlos theater in Lisbon.

It is an opera in 3 Acts. This performance was such that the first two acts were presented one immediately after the other. There was an intermission between the end of Act 2 and the beginning of Act 3.
enrico onofri e divino sospiro no ccb: na boa direcção
appa writes on 17.Feb.05 at 13h17
Assisti o passado Sábado a um bom concerto pela orquestra Barroca Divino Sospiro sob a direcção do violinista Enrico Onofri.

O programa interpretado foi:
bach & couperin em cravo no ccb: le sang s'écoule sur le clavecin
appa writes on 07.Feb.05 at 18h36
Assisti no passado Sábado a um concerto medíocre pelo cravista Ketil Haugsand. É um medíocre tísico, daqueles que se assoprarmos cai para o chão, e estilhaça-se em mil pedaços.
first page
previous page
1 2 3 4 5 6 7 8 9 ...
next page
last page